sexta-feira, 23 de abril de 2010

Tendência da estação


Meninas, o inverno se aproxima. É hora de tirar as meias da gaveta, as sandálias também. Isso mesmo! A tendência em alta da estação é a meia ¾ com sandália de salto. Febre nas passarelas das semanas de moda de Paris, Nova York, Milão e São Paulo, a nova onda se espalhou pelo mundo e ganha cada vez mais adeptas.


Mas, atenção! Você, gordinha e/ou de pernas mais grossas que as lindas modelos de passarela, não pode usar qualquer combinação. Para dar a impressão de pernas alongadas, semelhantes aos padrões de medida estabelecidos pela moda, recomenda-se o uso de meias e sandálias da mesma cor.

Já você, de idade avançada e aspirante a jovem descolada. Cuidado! Seu comportamento é deselegante, pois só as mais novas têm atitude para segurar um visual tão moderno. A forma mais adequada de se apresentar de acordo com o vestuário discreto exigido das mais velhas é apostar nos acessórios de cor preta, somente preta.


Agora, você: jovem, moderna, magra, alta, de pernas finas (uma verdadeira modelo), sinta-se superior, seu tipo físico é o ideal. Nem precisa esconder nenhum defeito de proporção física e adequação estética. Você é perfeita! Todos deviam ser assim, contemplados com a beleza em voga nas passarelas, aí poderiam usar sem disfarces as tendências da estação.

Releitura de um discurso formado por especialistas de moda e, portanto, agenciadores de um código de beleza e corpo femininos hegemônicos.
Fonte: GNT Estilo
Nathália Carneiro


UPDATE
Saia justa: a moda é você quem faz?

10 comentários:

  1. É engraçado como quando estudamos a fundo algum tema, passamos a repará-lo melhor e ponderar mais o que assistimos, compramos e usamos. Li várias matérias neste formato durante a semana, que em contradição ás passarelas, não é lá muito criativo. O discurso é sempre o mesmo, compre!

    ResponderExcluir
  2. Bem "democrático" esse discurso... Uma jovem de pernas finas é o tipo físico (e espiritual) ideal para aderir sem susto a esse modismo, desde que tenha "atitude para segurar um visual moderno como este" (by Bruna Oliveira, da Arezzo). Mas como diz uma outra ditadora de/da moda "mulheres com mais de 40 anos não podem usar" (Janaína Gradvhol, da Guapa Loca).

    Pelo jeito, ser “moderna” tem prazo de validade no universo da moda... rs

    ResponderExcluir
  3. Ser "moderna" tem prazo de validade e ser "ideal" é uma coisa rara, né?! Porque você deve ser linda, magra e de pernas finas...

    Um biótipo que não está presente na maioria das mulheres brasileiras.

    ResponderExcluir
  4. Talvez a moda e seus ditadores sejam uns dos principais responsáveis pela cultuação do corpo magro, e tido como ''perfeito''. Nem por isso eu a tenho como desnecessária. Se olharmos á fundo a moda pode corresponder para todo tipo de corpo e estilo. Não que seja uma regra, e sim uma exceção.

    ResponderExcluir
  5. Esses discursos da moda circulam para muitas pessoas como verdadeiros, já que são pronunciados por muitas instituições midiáticas tidas como de credibilidade. São seguidos, talvez, pelo processo pedagógico experienciado pelo público por meio das conveniências sociais e a vontade de se inserir no padrão normativo que promete recompensas elogiosas. É provável que o velho Roland Barthes tenha razão ao dizer que a moda é sem conteúdo e seria "o espetáculo que os homens se dão a si próprios do poder que eles têm de fazer significar o insignificante".

    ResponderExcluir
  6. Sobre o vídeo, mais uma reflexão sobre o corpo. Apesar de cômica a forma como a entrevistada destrata a repórter, ela fala palavras que merecem atenção: "A moda quem faz são vocês". Cada um deve usar aquilo com o qual se sente bem e não o que a mídia dita. Bela lição da pernambucana.

    ResponderExcluir
  7. A entrevistada do vídeo disse tudo! 'A moda quem faz são vocês', ou seja, somos nós. Se eu fosse me preocupar se eu me encaixo ou não nos padrões estéticos para usar determinda roupa eu estaria ferrada!!! Não sou alta, não possuo pernas finas e nem passo perto de ser magra...Que essa ditadura da beleza tenha um fim!

    ResponderExcluir
  8. Andrei S. e Silva26 de abril de 2010 16:40

    Hoje, se inserir em um padrão pré definido é o sonho do homem moderno, tentar se inserir entre a "realeza" dos padrões estéticos, econômicos e culturais. E pensar que no início das revoluções burguesas buscava-se exatamente o contrário. Discurso pós-moderno? Acho que se trata mais de uma modernidade que se prolongou demais...

    ResponderExcluir
  9. Sorte das magras, altas, com pernas de ciriema que nunca precisarão passar pelo encômodo de entrar em uma loja e sair sem nenhuma roupa ter te servido, como é o caso da maioria das brasileiras "popozudas".
    O tal "ideal" ainda é quem dita a moda, mas posso dizer que já possuem alguns mais espertos que sabem investir no mercado o qual possui uma enorme demanda que se encaixa no modelo do "quase, ou nada ideal"...
    Eu sou prova disso,nesse "inverno" pude até comprar uma bota, e olha que ela me serviu como uma luva, nem precisou de vasilina pra entrar nas minhas batatas!
    kkkkkkkkkkkkk...
    Pena que os espertos ainda são tão poucos!e no Brasil quase nulos!

    ResponderExcluir
  10. Hahahahaha. Muito bom o vídeo. Acho que muita gente se sentiu bem "representado" pela entrevistada, que não se omitiu ao mostrar sua opnião confrontando a repórter. Essa idéia de moda como uma regra a ser seguida pela sociedade é muito fútil na minha opnião. Acho que, se seguirmos o bom senso, e estivermos a vontade com as nossas roupas, estaremos sim "na moda".

    ResponderExcluir