terça-feira, 4 de maio de 2010

Idosa namora neto biológico e será mãe aos 72 anos, diz revista

Pearl Carter, de 72 anos, está enfrentando muitos olhares tortos nos Estados Unidos desde que assumiu o namoro com seu neto biológico, Phil Baile, de 26 anos. Como se não bastasse, o polêmico casal ainda terá um filho concebido com a ajuda de uma barriga de aluguel. A história foi publicada pela revista neozelandesa "New Idea".
Segundo a publicação, a americana do estado de Indiana nunca escondeu seu amor pelo neto, desde que o conheceu quando tinha 46 anos.

Phil é filho de Lynette Bailey, que foi deixada para adoção quando Pearl tinha apenas 18 anos. Quando a idosa soube da morte da filha, ela foi atrás de seu neto, com quem começou uma estranha relação.
"Não estou interessada no que as pessoas pensam. Estou apaixonada pelo Phil e ele por mim. Em breve, abraçaremos nosso filho e tenho certeza que Phil será um excelente pai", contou Pearl Carter à revista "New Idea".
O casal gastará US$ 54 mil em uma inseminação artificial e contará com a ajuda de uma barriga de aluguel. Pearl contou ainda que tem uma vida sexual bem ativa com o neto.
"Amo Pearl. Sempre fui atraído por mulheres mais velhas e a acho maravilhosa", disse o jovem de 26 anos.
 (Outra noticia do G1 que eu considero interessante para discussão. Se somos donos do nosso corpo, podemos mesmo fazer qualquer coisa com ele, até em casos como o desse casal que é formado por neto e avó?)
Angélica Queiroz, 7º período, jornalismo

6 comentários:

  1. Acho muito difícil julgar este caso. Implica valores morais e éticos que a sociedade moderna abomina. Tanto os laços familiares quanto a diferença de idade são aspectos polêmicos a serem discutidos.

    Prefiro ficar com a premissa de que "quem sou eu para julgar?"

    ResponderExcluir
  2. Ludmilla Abdalla6 de maio de 2010 10:57

    Dei boas risadas lendo a matéria. E como não sou tão boa que nem a Juliana, julguei do começo ao fim. hehehehe
    Geeeente, ela é horrorosa, e ele até que não é lá dos piores não.
    E gastando 54 mil dólares só pra engravidar, suponho que a doce vovó não seja pobre não.
    Então, será que eu sou tão incrédula no amor assim??
    Vai saber...
    hehehee

    ResponderExcluir
  3. Andrei S. e Silva7 de maio de 2010 11:17

    Se formos tentar "julgar" esse caso com base no que nós concebemos como o que é o amor, ou quem pode amar, nós estariamos no mínimo utilizando o senso comum, partindo de conceitos rasteiros pra tentar abordar uma situação complexa.
    Porque esse casal nos causa tanta estranheza afinal? Segundo os antropólogos, um dos únicos comportamentos que são abominados em quase todas as culturas ao redor do mundo é o incesto. Em qualquer tribo, sociedade antiga, moderna, pós moderna, seja lá como for, a relação entre pessoas da mesma família é um tabu monumental. Mas eu acredito que o exemplo desses dois nos levam a fazer questionamentos muito mais interessantes que estão além do tabu familiar.
    Quando falamos da diferença de idade, imediatamente pensamos: "como alguém sente atração por uma velha dessas?" ou "pessoas velhas tem que ter outros velhos como parceiros. A mesma coisa com pessoas jovens.". Bem, se formos perceber o conceito que nós temos sobre quais os pré-requisitos necessários para amar, nós estaremos negando esse direito a imensa maioria da populaçao mundial. Afinal porque é tão louvável um casal como o Brad Pitt e a Angelina Jolie, e ao mesmo tempo causa repulsa o casal mencionado na postagem? Será que as pessoas mais velhas, com deficiência físicas, moradores de rua, doentes terminais, obesos mórbidos ou qualquer outro tipo que não se encaixe no que é considerado normal, está privado de amar?
    Novamente nos vem a mente uma resposta: "claro que sim, o cadeirante com a cadeirante, o mendingo com a mendinga, o doidim com a doidinha,o velho com a velha...". Por mais que não adimitamos isso, lá no fundo esse pensamento está bem estabelecido. Esse casal mencionado na postagem pode muito bem ser uma farsa ou um joguete para estar na mídia, mas não deixa de nos fazer pensar sobre quais são os limites que nós traçamos para definirmos o que pode e o que não pode na relação entre duas pessoas. Eu particularmente já conheci várias pessoas que ficaram sozinhas e infelizes por muito tempo porque os pretendentes que apareceram nas suas vidas "não serviam" para os seus padrões. As vezes me parece que as pessoas com quem nos relacionamos, foram feitas sobre medida para nós, tanto pela mídia quanto pela conveniência social.

    ResponderExcluir
  4. gente, só eu notei que ela falou que ama ele desde que tinha 46 anos, ou seja, DESDE QUE ELE NASCEU???????? ela era ROMANTICAMENTE E SEXUALMENTE atraída por um BEBÊ???

    não entendi. e julguei mesmo. é instinto.

    ResponderExcluir
  5. Crtl c + Crtl v no comentário da Ludmilla Abdalla. muito sem noção.

    ResponderExcluir
  6. Acho que esse relacionamento é tão absurdo que não vem a ser um caso para se discutir os tabus e preconceitos da sociedade. Na minha humilde opnião é uma excessão que não reflete muito bem como o comportamento das pessoas vem mudando (ou pelo menos sendo mais debatidos).

    ResponderExcluir